Voz da Póvoa
 
...

Jacintos-de-Água podem ter Originado a Alteração da Qualidade das Águas Balneares

Jacintos-de-Água podem ter Originado a Alteração da Qualidade das Águas Balneares

22 Agosto 2020 | 11:04

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim aponta os ventos fortes do quadrante sul, a agitação marítima e a presença de jacintos-de-água, (uma presença constante no Rio Ave e que através das correntes chegam às praias), como as causas que podem ter provocado a alteração da qualidade das águas balneares, que levou à interdição a banhos. Explica em comunicado a autarquia.

A autarquia explica em comunicado que, sobre a causa da contaminação microbiológica que afetou a costa litoral norte e a evolução dos valores registados nas sete praias do nosso concelho, está em condições de frisar o seguinte:
 
1. À precipitação intensa contínua e ventos fortes do quadrante sul, condições climáticas por nós já relatadas ontem, juntou-se uma agitação marítima que alterou as correntes dominantes e que teve impacto na manutenção da qualidade das nossas águas balneares. De facto, o vento é um elemento condicionante nas correntes predominantes, juntamente com os gradientes térmicos;

2. A estes indicadores acresce um outro verificado pelos técnicos e que pode ser constatado através do registo fotográfico – a presença excecional de jacintos-de-água (Eichhornia crassipes) nas nossas praias, em especial nos areais desde a Esplanada do Carvalhido até à Praia da Lagoa;

3. Sendo uma espécie de água doce, a presença dos jacintos-de-água nas nossas praias só se explica por ter sido arrastada pelas correntes. Esta é, aliás, uma espécie fortemente identificada no rio Ave;

4. Após a avaliação pormenorizada do nosso sistema de drenagem de águas pluviais que, durante o período de verão fica ligado através de sistemas de bombagem à rede pública de saneamento, está o Município em condições de assegurar que não foi registada qualquer anomalia ou transvase para o oceano.

No comunicado pode ler-se ainda que:

Uma conjugação natural de todos os dados enunciados ajudará a explicar este fenómeno atípico e a identificar a origem do problema.

O Município da Póvoa de Varzim reitera que continuará, tal como tem feito desde o primeiro momento, vigilante face a esta questão de forma a mitigar o impacto da mesma na comunidade poveira através da implementação de todas as medidas corretivas adequadas.

Neste sentido, será dado continuidade ao trabalho de coordenação com a APA e a Capitania, com base no qual já foi efetuada nova recolha de amostras de água para contra-análise. Foi também afixada a informação solicitada pela APA nas sete praias.

Adicionalmente, procedeu-se à remoção dos jacintos-de-água das nossas praias e foi dado conhecimento de toda esta informação à APA, esperando-se agora, naturalmente, que proceda à sua análise de modo a que sejam comunicadas as respetivas conclusões.

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário