Voz da Póvoa
 
...

A Educação é o Pilar Maior da Democracia

A Educação é o Pilar Maior da Democracia

4 Julho 2020 | 11:42

A manhã de sexta-feira serviu no Auditório Municipal para a cerimónia de encerramento das Oficinas de Literacia dos Percursos de Cidadania, um projecto desenvolvido pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim em parceria com a Associação Portuguesa de Educação e Formação de Adultos (APEFA), com o Instituto de Educação e Formação Profissional (IEFP), com a Cruz Vermelha Portuguesa e com o programa Qualifica da Escola Secundária Rocha Peixoto.

Erradicar o analfabetismo e promover a literacia entre os adultos é a principal veia motivadora da iniciativa. A Oficina de Literacia não fugiu à regra e teve que se ajustar à nova realidade de distanciamento social para continuar a trabalhar com todos os participantes. Também aqui o ensino à distância valeu o Certificado de Qualificação.

A cerimónia contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal, Luís Diamantino, do Vice-Presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), António Leite, e do Presidente da APEFA, Armando Loureiro.

Para Luís Diamantino a educação e formação podem ser sinónimo de ascensão social: “Antes do 25 de Abril era impensável ir mais além se não tivesse estatuto económico. A democracia veio trazer-nos a possibilidade de trabalharmos para alcançarmos os nossos sonhos. É importante fazermos sempre mais e melhor. Ocupo este cargo porque acredito que sou capaz de fazer amanhã ainda mais e melhor do que fiz hoje. No entanto, somos sempre melhores quando temos equipas à nossa volta”.

Também António Leite destacou a importância do ensino e da cultura na solidez da democracia: “O acto de votar é a base da democracia. Mas não é suficiente. Um projeto como este é essencial. Para que cada cidadão português consiga ler e saiba interpretar o que lê para formar opiniões próprias. A pandemia veio tornar claras as diferenças sociais e o estudo em casa demonstrou a exclusão a que inúmeras pessoas estão sujeitas. Casas sem condições para o estudo, sem computadores, sem ligação à Internet, sem privacidade. O IEFP tentou, por isso, defender a democracia e a inclusão social através de mais uma Oficina que pretende dar poder aos cidadãos”.

Quanto a Armando Loureiro reconheceu que “foi concretizado um sonho pelos formandos, resultado de um esforço conjunto entre entidades copromotoras do projecto Percursos de Cidadania da Póvoa de Varzim”. Para o Presidente da APEFA os recursos de comunicação “são diversos de acordo com as disponibilidades dos adultos, contornando os obstáculos para manter a proximidade, a confiança, o acompanhamento e a empatia criada nas Oficinas”.

A equipa pedagógica de acompanhamento do projecto utilizou as tecnologias de informação, mas também processos de comunicação tradicionais, de acordo com os recursos disponíveis dos adultos inscritos nas Oficinas de Literacia.

partilhar Facebook
Banner Publicitário