Voz da Póvoa
 
...

Reflorestação de Terrenos Queimados

Reflorestação de Terrenos Queimados

23 Janeiro 2020 | 15:51

O Município de Esposende vai disponibilizar 4 900 árvores de diferentes espécies para reflorestar terrenos queimados do concelho. Esta ação decorre da adesão da Câmara Municipal ao movimento Terra de Esperança, da Fundação Galp, e que tem como mote “Cinza nunca será a cor da Esperança”.
 
Este movimento, que tem como missão contribuir para a reflorestação de Portugal, surge para dar continuidade ao trabalho iniciado pela ANEFA - Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, que lançou o Projeto ProNatura para apoiar, através de ações de responsabilização social nas empresas e instituições, a reflorestação de áreas ardidas e/ou degradadas.
 
Através deste movimento, o Município de Esposende recebeu 4 900 árvores, de várias espécies tais como diferentes espécies de carvalhos, castanheiros, bétulas, faias, cedros do Bussaco, ciprestes, medronheiros, nogueiras, pinheiros mansos, entre outras. Na fase de escolha das espécies foi dada primazia às espécies autóctones, espécies florestais a privilegiar de acordo com o Programa Regional de Ordenamento Florestal de Entre Douro e Minho. A escolha favoreceu igualmente as espécies melhor adaptadas edafoclimaticamente, com maior rusticidade, que contribuam positivamente para o aumento da biodiversidade, para a diminuição do risco de incêndio, contribuindo para uma melhor resiliência do território.

As árvores poderão ser levantadas gratuitamente na Junta de Freguesia de Vila Chã e nas instalações da União das Freguesia de Esposende, Marinhas e Gandra e da União das Freguesias de Palmeira de Faro e Curvos. Preferencialmente, as árvores destinam-se aos terrenos afetados pelas áreas concelhias percorridas por incêndios em 2019, no entanto, poderão também ser utilizadas na recuperação de outras áreas florestais concelhias. Deste modo, os proprietários de terrenos florestais no concelho, especialmente nas freguesias referidas, poderão levantar gratuitamente as árvores, contribuindo ativamente para a valorização das respetivas propriedades.

Esta medida enquadra-se nos eixos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que concerne à Ação Climática (ODS 13), Proteger a Vida Terrestre (ODS 15) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário