Voz da Póvoa
 
...

Associação saúda autarca Benjamim Pereira por alterar o prato identitário de Esposende

Associação saúda autarca Benjamim Pereira por alterar o prato identitário de Esposende

21 Maio 2020 | 10:04

Robalo passa a ter destaque como prato identitário do concelho de Esposende, deixando o polvo para trás.

A Associação Cidadãos de Esposende congratulou-se com a alteração do prato identitário de Esposende, felicitando o autarca Benjamim Pereira pela iniciativa. A organização expressou "enorme satisfação" ao verificar que o presidente da Câmara Municipal de Esposende atendeu o pedido de alteração para o prato identitário de Esposende, até aqui “Polvo da Pedra à Esposende.” O robalo foi o novo ingrediente escolhido.

Em dezembro de 2019, a Associação lançou uma campanha nas redes sociais e nos meios de comunicação solicitando a participação dos cidadãos para substituir o que considerava ser um prato esquecido e sem qualquer impacto na economia local.

Tendo como base que a escolha de um prato para o concelho deve ser dos Esposendenses, e não de quem visita o concelho, a Associação manteve um inquérito online durante dois meses, recebendo mais de duas mil participações.

Cidadãos com vontade de mudança

O resultado foi o esperado, a maioria dos intervenientes pedia uma alteração ao prato que identifica a gastronomia local, sendo que os dois melhor posicionados foram a lampreia e o robalo.

Os dados do inquérito foram remetidos a Benjamim Pereira no mês de fevereiro na expectativa que o presidente da Câmara Municipal de Esposende procedesse a uma alteração do prato identitário do concelho ou optasse pela divulgação de outro ingrediente que não o polvo.

Passados três meses, verifica-se que o máximo responsável local reconheceu que o prato lançado em 2015 não logrou atingir os objetivos pretendidos e inicia a divulgação e valorização da oferta gastronómica com o robalo.

Colocar o robalo na valorização da gastronomia local é certamente um passo importante e que terá melhores resultados que o esquecido polvo da pedra, que dificilmente se encontra na restauração local e que comprovadamente não teve qualquer impacto na economia do concelho de Esposende.

Valorizar a gastronomia local

Sabendo que Esposende é um concelho turístico é fundamental associar um prato que o identifique tanto a nível nacional como internacional, considera a Associação. A divulgação que o Município pretende iniciar do robalo deve ser encarada como um passo positivo nessa alteração, dizem os responsáveis.

No entanto, "seria importante reconhecer" os erros do passado, para não os repetir no futuro.
Foram muitos milhares de euros gastos com o polvo, investimentos em feiras nacionais e internacionais ou publicidade que custaram aos cofres da autarquia valores que não tiveram o posterior retorno. É fundamental entender o que não correu bem e melhorar a forma como o robalo será agora apresentado e se a sua confeção é concretizada em todos os restaurantes, e não apenas em dois como se verificava com o Polvo.

Os responsáveis consideram que é importante pensar que passos devem ser dados na divulgação do robalo, onde deve ser investida a divulgação e sobretudo, numa fase complicada a nível nacional e internacional pela pandemia de covid-19, pensar se será oportuno gastar grandes quantias na divulgação de um peixe em detrimento de outras prioridades para a população local.
"Divulgar sim, mas com a devida contenção", pede a Associação.

partilhar Facebook
211/robalo.jpg
211/Fotografia_registada_da_Associacao.jpg
Banner Publicitário