Voz da Póvoa
 
...

Vila do Conde Recebeu Congresso Internacional Rurallur

Vila do Conde Recebeu Congresso Internacional Rurallur

Vila do Conde | 18 Setembro 2021

O Congresso Internacional Rurallur – Promoção do Património Cultural e dos Museus em Contexto Rural, realizou-se em Vila do Conde nos dias 8, 9 e 10 de Setembro, tendo como palco o Teatro Municipal.

O concelho tem 17 quilómetros de costa e um património edificado e ambiental considerável que foi tema do congresso, assim como o património e o legado dos nossos escritores que nasceram ou viveram em Vila do Conde.

O congresso contou com vários convidados e participantes, vindos de vários países entre os quais Brasil e Espanha. Destaque para a presença de Manuela Ribeiro, coordenadora do Correntes d’Escritas; Adelaide Galhardo, Escritaria – Município de Penafiel ou de Antón Lopo, Festival Alguén que respira!. Entre outros convidados, estiveram  Laura Castro, direcção Regional da Cultura do Norte; Aurora Pinto, Livraria Lello; os responsáveis das fundações Casa Mateus e Casa Fernando Pessoa, professores universitários, historiadores, artistas e escritores entre outras personalidades de relevo.

As honras da abertura do Congresso Internacional Rurallur foram de Elisa Ferraz, presidente da Câmara de Vila do Conde, que começou por agradecer e saudar individualidades políticas, artísticas e os demais presentes: “Este projecto visa potenciar o recurso às tecnologias da informação no sentido de incrementar a simbiose entre território e os viajantes que anualmente o atravessam, seja no cumprimento de rotas de peregrinação, seja na livre circulação de recursos da verdadeira descoberta, potenciando uma experiencia de lugar diferenciadora em torno do património e de modo particular do património literário e artístico. Vila do Conde, cidade de Poetas e artistas, estabelece relações entre a obra poética, literária e artística de figuras ímpares da cultura e das artes em Portugal cuja origem, passagem e relação com Vila do Conde é incontornável”.

 Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco, Guerra Junqueiro, Antero de Quental, os irmãos José Régio e Júlio Saúl Dias, Agustina Bessa-Luís, Rui Belo e o casal de pintores Sonia Delaunay e Robert Delaunay, constituem o núcleo principal de poetas literatos e artistas cujos legados potenciam “uma revisitação do território capaz de constituir uma experiência diferenciadora para peregrinos, turistas e visitantes”.

Os equipamentos municipais existentes como são, “a casa de Antero de Quental, a casa de José Régio, a galeria de Júlio Saúl Dias e centro de estudos, assim como lugares e territórios biográficos, como é exemplo a igreja Matriz de Vila do Conde, na qual Eça de Queiroz foi baptizado, as casas onde residiram Guerra Junqueiro, Camilo Castelo Branco, Agustina Bessa-Luís e o casal de pintores Sonia Delaunay e Robert Delaunay, mas também as referencias de lugares eternizados em poemas de Rui Belo ou José Régio, mas também na obra pictórica de Júlio, Sonia Delaunay e Robert Delaunay. São pontos de partida para uma experiência única e diferenciadora”, referenciou Elisa Ferraz, como caminho para o congresso.

Acrescentando: “O nosso território é também atravessado por dois caminhos de peregrinação a Santiago, o caminho central e o caminho da costa, pelo que o nosso concelho é percorrido por milhares de peregrinos em cada ano, provenientes do sul do país, mas também de vários enquadramentos internacionais, considerando a nossa proximidade ao aeroporto Sá Carneiro ou ao Porto de Leixões. Todas as circunstâncias enumeradas justificam que Vila do Conde marque presença neste projecto”.
 
O congresso terminou com uma visita às casas de escritores em Vila do Conde e a alguns enquadramentos afectivos da cidade presentes na biografia dos escritores e pintores. Quanto à história do concelho, é bem visível ao viajante, turista ou peregrino.

partilhar Facebook
Banner Publicitário