Voz da Póvoa
 
...

Valorizar a Aprendizagem e Combater o Abandono Escolar

Valorizar a Aprendizagem e Combater o Abandono Escolar

Política | 3 Março 2021

Na reunião de Câmara, de terça-feira, foi aprovada a adesão ao projecto “eduk’ARTE”, desenvolvido ao abrigo do programa “Escolhas” e que visa combater o absentismo escolar dos alunos até ao 9º ano, que se agravou por causa da pandemia. Pretende-se desta forma, promover a integração de crianças e jovens da Póvoa de Varzim, mais desprotegidos.

Para o Presidente da Câmara, “o projecto eduk’ARTE tem por base uma pareceria entre um conjunto de associações da Póvoa de Varzim, desde logo a escola Cego do Maio, o Instituto Maria da Paz Varzim, a União de Freguesias Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai, a Delegação da Cruz Vermelha, a União Desportiva e Cultural de Argivai, a Associação de Pais da escola Cego do Maio, o Varazim Teatro, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS), Associação Pró-Música, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, e tem por objectivo criar uma estrutura que acompanhe os jovens e as comunidades mais desfavorecidas no seu processo educacional”, esclarece Aires Pereira.

E acrescenta: “Temos vindo a identificar que muitos destes meninos não regressaram à escola depois da primeira fase de confinamento. Por isso, há aqui um trabalho de integração e de motivação que é preciso fazer. Sabemos que muitas vezes a retaguarda familiar não é a mais adequada e por isso vamos avançar com este projecto no sentido de ter em atenção, nomeadamente nos agrupamentos habitacionais e as comunidades mais desfavorecidas para de alguma forma pudermos combater o absentismo e o abandono escolar precoce”.

Valorizar as pessoas que apostaram na sua formação foi também uma aposta da Autarquia, que aprovou a terceira fase da mobilidade de funcionário: “É preciso dar nota que ao longo dos últimos 4 anos o Município promoveu a mobilidade inter-carreiras de 82 trabalhadores, nas mais diversas áreas. Isto demonstra o cuidado que o a Câmara Municipal tem tido para com os seus trabalhadores e com todos aqueles que tem tido percursos de valorização. Muitos destes funcionários tiraram em horário Pós-laboral licenciaturas, ou seja adquiriram novas competências. Isto é um sinal muito positivo que o Município dá para que as pessoas continuem a investir em si próprias, continuem a valorizarem-se”.

A reunião serviu também para aprovar o programa Eco-Escolas, que conta com 14 instituições de ensino, número em crescendo. Este projecto de Educação Ambiental tem como parceiro a Associação Bandeira Azul Europa.

O Executivo da Câmara renovou o contrato-programa com a Associação Pró-Música, contribuindo com 270 mil euros, num orçamento que actualmente é de um milhão de euros. “Mesmo em tempos de pandemia o Município continua a apoiar a cultura da Póvoa. é importante que, no dia em que a normalidade regresse as associações culturais e as artes em geral também o façam”, lembrou Aires Pereira.

Foi também aprovado um apoio de 5 mil euros aos Viking-Souls, associação de motards que está a construir uma sede nova, em Navais.
Foi também aprovado por unanimidade um voto de pesar pelo falecimento de José Ribeiro, “Fez parte do Inter-freguesias de futebol, foi o fundador do Nucleio de Árbitros da Costa Verde e teve sempre um percurso ligado `arbitragem e a Câmara decidiu por unanimidade manifestar à família e a todas as associações onde colaborava, o nosso mais profundo pesar pelo seu desaparecimento precoce. Era presença assídua em todos os momentos onde se celebrava o desporto, para além de ser responsável pela formação de árbitros do Inter-freguesias. Ou seja, um poveiro profundamente ligado à atividade desportiva”, sublinha o Presidente da Câmara.

Questionado sobre as propostas aprovadas em Reunião de Câmara, o vereador do Partido Socialista destacou o eduk’ARTE, por ajudar a integrar crianças em situação de exclusão, nomeadamente as de etnia cigana.

Miguel Fernandes reconheceu também o esforço da Autarquia na criação do Centro de Vacinação em Aver-o-Mar, na escola do Cruzeiro: “Penso que tem todas as condições para vacinar as pessoas em segurança. Neste momento as equipas são de três enfermeiros e um médico durante a manhã e o mesmo número à tarde. Há também um administrativo para fazer registos. Tem um bom espaço para as pessoas esperar meia hora para ver se existe alguma reacção à vacina. A questão agora, é o número de vacinas que tem sido relativamente pequeno, no entanto da forma como está planeado é possível vacinar muita gente diariamente. Acreditamos que a situação dentro em breve irá alterar-se e o ritmo de vacinação vai aumentar com a chegada das novas vacinas”.

partilhar Facebook
326/Aires_Pereira_VP.jpg
14/geral-camara.jpg
Banner Publicitário