Voz da Póvoa
 
...

Executivo Anuncia Centro de Interpretação da Camisola Poveira

Executivo Anuncia Centro de Interpretação da Camisola Poveira

Política | 16 Abril 2021

Na reunião de Câmara de terça-feira, o Executivo Municipal aprovou e afixou as condições de venda, nacional e internacional, da Camisola Poveira na plataforma Marketplace “É Bom Comprar Aqui!”, mas também no Posto de Turismo, obradas pelos artesãos da Associação Amigos do Museu. Os tamanhos mandam nos preços, que variam entre os 84 e 99 euros.

 “A receita da venda reverte integralmente para os artesãos. A Câmara não tira qualquer vantagem comercial desta iniciativa. É importante valorizar o trabalho dos artesãos. É preciso reforçar que cada Camisola Poveira demora 50 horas a ser produzida, daí a compreensão necessária porque não será possível fornecer todos os pedidos que temos e são mais de 300, de diversas partes do mundo. Não iremos alterar o método de produção, nem adulterar a tradicional Camisola Poveira. Quem a quiser, de acordo com o método tradicional de execução e validada mediante etiqueta própria, terá que esperar, porque não haverá produção industrial. Iremos continuar a produzir a Camisola Poveira como nos últimos 150 anos”, garantiu Aires Pereira, presidente da Câmara Municipal.
 
E revelou que, “temos um protocolo com o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, para ministrar os cursos e iremos avançar com a criação do Centro de Interpretação e de Formação da Camisola Poveira”, no Centro Empresarial, na central de transportes.
Foi também aprovada a proposta de Regulamento de Gestão de Praias Marítimas Integradas no Domínio Público Hídrico do Estado, (passou para o domínio do município toda a gestão da orla costeira, quer a área que estava na jurisdição da Docapesca, quer na jurisdição da Agência Portuguesa do Ambiente) documento que irá posteriormente ser submetido à apreciação da Assembleia Municipal.

A explicação veio pela voz de Sílvia Costa, Vereadora do Ambiente: “o domínio das praias pela autarquia torna-se efectivo a partir de 1 de Janeiro de 2021. Por isso, houve a necessidade de definir as regras de funcionamento destas novas competências na gestão municipal. Até agora, um promotor que desenvolvesse a sua actividade na época balnear tinha que pedir licenciamento a diferentes entidades, o que por vezes tornava o processo muito complexo. Tivemos que pegar em todas estas taxas e adequá-las à nossa realidade. Num critério de uniformidade e simplicidade fizemos uma revisão de todo o processo e houve uma redução de aproximadamente 20 tachas que eram cobradas para cada uma das tipologias da actividade. Os concessionários não vão ter qualquer impacto negativo, porque vão pagar praticamente o mesmo que pagavam, tendo como ganho a simplificação de todo o processo, esta ou qualquer outra actividade na zona balnear, isto, em relação às licenças e às taxas a cobrar”.

Ainda a este nível, o Executivo aprovou minutas de protocolos de cooperação entre o Município e a Direção-Geral da Autoridade Marítima, a Agência Portuguesa do Ambiente e a Docapesca – Portos e Lota, aplicáveis transitoriamente a este ano.

A reunião de Câmara serviu ainda para a aprovação da assinatura de contrato com o Clube Naval Povoense (CNP), para a exploração e gestão da nova Marina Norte, que deverá entrar em funcionamento no mês de Maio.
 
Foram também aprovados apoios às seguintes associações locais: Abrigo dos Animais Abandonados – A Cerca (6.500 euros); ao Póvoa Andebol Clube (35.000 euros), Grupo Recreativo e Etnográfico “As Tricanas Poveiras” (6000 euros) e Confraria do Santíssimo Sacramento, que recebei 6.250 euros, o mesmo valor do ano passado.

 

partilhar Facebook
769/IMG_2771.jpg
769/IMG_2765.jpg
Banner Publicitário