Voz da Póvoa
 
...

CDU Promoveu Audição Sobre a Educação e a Escola Pública

CDU Promoveu Audição Sobre a Educação e a Escola Pública

Política | 19 Janeiro 2021

Educação e Escola Pública foi o mote para a CDU/Póvoa de Varzim realizar no sábado, na Biblioteca Municipal, um debate que contou com a participação da deputada do PCP Diana Ferreira.

Segundo nota de imprensa “foram muitas as questões e problemas colocados por estudantes, professores, assistentes operacionais, pais, sindicatos e associações de pais, num debate não só sobre o ensino na Póvoa, mas também de denúncia de problemas e contributos para soluções de uma Escola Pública melhor”.

Poe ainda ler-se que “as escolas da Póvoa de Varzim não se afastam muito dos problemas sentidos no resto do país, mas a maioria PSD na Câmara Municipal não dá a prioridade política e de investimento que a educação no precisa e merece. São problemas que podem ser resolvidos, mas que por opção não são, como o não cumprimento e actualização da Carta Educativa Municipal”.

Foram abordados problemas como “a falta de uma rede pública de creches e jardins-de-infância (hoje praticamente entregue ao sector privado e social, com elevados custos para as famílias), a falta de transportes públicos, o facto de as cantinas escolares estarem quase todas concessionadas, equipamentos tecnológicos em falta ou obsoletos, e também o jogo do empurra de responsabilidades entre poder central e autarquia, causando impasse na resolução de problemas, como remoção de amianto”.

Uma das matérias abordadas foi o insucesso escolar, tendo sido identificados alguns elementos que contribuem para esta situação, nomeadamente “o demasiado tempo que as crianças passam na escola, os horários desregulados dos pais que não permitem que estes acompanhem mais os filhos e haja mais tempo em família, as realidades económicas e sociais dos pais, muitas vezes marcada por desemprego, precariedade, baixos salários, com grande influência nas crianças, entre outras”.

Os problemas da Escola Pública no concelho são crónicos, “fruto de responsabilidade de sucessivos governos do PS, PSD e CDS, e a situação epidémica veio expor ainda mais dificuldades. A falta de professores, auxiliares de acção educativa, psicólogos, técnicos especializados e outros profissionais da educação, não sendo de hoje ganha dimensões mais gravosas face ao actual contexto e exige uma urgente resolução”.

O desinvestimento continuado na Escola Pública que o PCP tem denunciado ano após ano traduz-se hoje “nas dificuldades que existem em responder às necessidades existentes. É por isso fundamental reforçar o investimento na educação, como a gratuitidade dos manuais escolares é exemplo, contratar mais profissionais para a escola pública e valorizar as suas carreiras e salários”.

O PCP, que ao longo dos anos tem defendido que o cumprimento do direito constitucional à educação é inseparável do reforço do investimento da Escola Pública e valorização dos seus profissionais apresentou já em sede de Orçamento do Estado um conjunto de propostas que respondem aos problemas que hoje estão identificados.

A realização desta audição, segundo a CDU “confirmou a necessidade de intervenção para garantir condições na Escola Pública e que o ensino presencial, neste contexto, não seja colocado em causa. O PCP tem defendido que têm de ser adoptadas todas as medidas que garantam o ensino presencial, que tem uma centralidade e importância no processo de ensino/aprendizagem, que não é substituível por experiências à distância. Os trabalhadores, os pais, os estudantes, podem contar com a acção do PCP e da CDU para que os problemas identificados sejam resolvidos”.

 

partilhar Facebook
619/PCP_a2.jpg
619/PCP_a1.jpg
Banner Publicitário