Voz da Póvoa
 
...

UMA VIDA SEM SENTIDO

UMA VIDA SEM SENTIDO

Opinião | 21 Janeiro 2021

O ser humano transformou-se num dente de engrenagem de uma vasta máquina, num autómato. A sua vida tornou-se vazia e perdeu o sentido. Anda ao sabor das telenovelas, dos programas imbecis da manhã e da tarde da TV, das notícias manipuladas dos telejornais, das redes sociais, dos smartphones. O homem está doente. Leva uma vida esquizofrénica. Ainda mais com a crise e com o terror da pandemia. Só se libertará quando deixar de ser manipulado pelo Estado, pelo medo ou por qualquer máquina económica ou tecnológica.

António Pedro Ribeiro – Sociólogo, Poeta e muito mais

partilhar Facebook
Banner Publicitário