Voz da Póvoa
 
...

Ser Adolescente durante o Covid-19

Ser Adolescente durante o Covid-19

Opinião | 1950 | 15 Abril 2020

Hoje escrevo principalmente para os/as adolescentes. Sei que, durante este período, pedimos-te para fazeres algo que é contra a tua natureza. Estamos a pedir-te que fiques em casa, que não possas estar fisicamente com o teu grupo de pares e que não frequentes a tua própria escola. Essas alterações foram repentinas e inesperadas, deixando-te com um sentimento de injustiça.
 
Com o objetivo de tornar este processo mais fácil para ti, deixarei aqui algumas dicas: mantem-te informado sobre o que se está a passar no mundo, estuda o vírus, compreende a sua evolução (mas não te tornes obsessivo/a nessa procura!), percebe que as realidades dos países são diferentes e o que está a acontecer num sítio poderá não se vir a repetir da mesma forma por aqui.
 
Além disso, já que pertences à geração da tecnologia e sabes utilizá-la sem nenhum entrave, apropria-te dos recursos para não te sentires sozinho/a. Fala com os teus amigos/as, faz conversas de grupo, tenta não ficar isolado socialmente durante este afastamento físico obrigatório. Tenta relaxar e ter a consciência de que é normal e possível ter sentimentos e emoções negativas nesta fase – que é apenas transitória.
 
A adaptação das rotinas prévias torna-se essencial durante este período: procura acordar sempre à mesma hora, prepara-te como se fosses sair de casa (tira o pijama!), estuda durante o mesmo período de antes e mantem os mesmos blocos de tempo para veres séries, falares com os teus amigos/as e para realizares outras atividades de lazer. Inclui o exercício físico dentro dessas rotinas, explora na internet as várias possibilidades de realizar exercícios dentro de quatro paredes. A tua postura é determinante neste momento – quando te defrontares com um problema, tenta inovar nas tuas respostas. Os problemas sempre irão existir, mas a maneira como tu os encaras é o que irá fazer toda a diferença.
 
Por melhor que seja a tua postura, poderá existir momentos que sintas que não vais conseguir ultrapassar o desafio, que tudo está a ficar muito pesado e que a ansiedade dispara constantemente. Nesse momento, fala com o teu pai ou com a tua mãe para procurarem serviços telefónicos/online de psicologia. Não é necessário passares por um processo desses sozinho/a. Procurar ajuda é um sinal de força e não de fraqueza.

O período de afastamento social encontra-se a decorrer, entretanto sabemos que isso tudo haverá de terminar. Temos de estar consciente que o retomar à “vida real” será um processo progressivo e longo, por isso é importante fazermos a nossa parte. Cada um/a de nós exerce um papel ativo e fundamental no combate a esta pandemia.

Luís Pinheiro – Psicólogo

partilhar Facebook
Banner Publicitário