Voz da Póvoa
 
...

O TEMPO EM QUE SE ESCREVIAM CARTAS

O TEMPO EM QUE SE ESCREVIAM CARTAS

Opinião | 20 Junho 2021

Na minha adolescência trocava cartas com as minhas primas de Lisboa, Ana e Sofia. Comunicava mais com a Sofia, eram cartas criativas e divertidas, tanto da minha parte como dela. Julgo que estava apaixonado. Mais tarde, correspondi-me com o meu grande amigo e colega de liceu, Rui Soares, quando ele foi estudar para Lisboa. Eram já cartas com ambições literárias, com poemas incluídos, o que veio a culminar na publicação do livro a meias, "Gritos. Murmúrios". Depois veio a Goreti e as cartas de amor, o amor da minha vida. Após isso, deixaram de se escrever cartas (nem sei bem porquê...), mas ainda mantive uma correspondência de missivas por mail com o meu grande amigo, o escritor Rui Manuel Amaral. Que saudades do tempo em que se escreviam cartas...

António Pedro Ribeiro – Sociólogo, poeta, cronista e muito mais

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário