Voz da Póvoa
 
...

A importância da linha de aconselhamento psicológico para a saúde mental

A importância da linha de aconselhamento psicológico para a saúde mental

Opinião | 28 Outubro 2020

Durante a crise pandémica da COVID-19, a Ordem dos Psicólogos Portugueses, em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian e com os serviços partilhados do Ministério da Saúde, criaram uma linha de aconselhamento psicológico que se encontra integrada na linha telefónica do SNS24.

A criação deste canal de comunicação foi um marco importantíssimo para o reconhecimento do papel de relevo que os psicólogos e as psicólogas representam em Portugal. Originalmente, a linha foi desenhada para dar apoio às preocupações e aos desafios psicológicos enfrentados pela população em geral e, em particular, pelos profissionais de saúde.

A situação em que todos e todas vivemos durante este ano, exigiu à população uma rápida capacidade de adaptação com o surgimento de uma nova e inesperada realidade. Assim, o isolamento e o afastamento social se tornaram dois novos pilares das relações humanas, facto que, consequentemente, criou uma tensão acrescida nas pessoas – levando a quadros de ansiedade aguda, aumento da fragilidade psicológica e ao agravamento de quadros psiquiátricos previamente existentes.

Neste sentido, a linha de aconselhamento psicológico tem como principais objetivos apoiar utentes na gestão de suas emoções (medo, tristeza, angústia) em momentos de crise, desenvolver mecanismos que de certa forma possam dotar a pessoa de maior capacidade para lidar com a situação que está a enfrentar, promover o sentimento de segurança e orientar o encaminhamento para outras entidades que possam dar uma resposta mais efetiva sobre o problema que a pessoa esteja a viver.

Atualmente, a linha é composta por cerca de 40 psicólogos e psicólogas que diariamente estão a atender as chamadas, 24 horas por dias, 7 dias por semana. Por fazer parte desta equipa, posso afirmar que a experiência apresenta-se como muito positiva. Apesar das dificuldades e imprevistos ocorridos no período inicial do serviço – fator inevitavelmente presente em iniciativas emergenciais – é possível observar um trabalho constante de melhoria da linha, cuja implantação se deu em tempo recorde e já auxiliou milhares de pessoas. Por isso, é de extrema importância defendermos a permanência da linha de apoio psicológico mesmo após o controlo da COVID-19, visto que fragilidade psicológica e os momentos crise não acontecem apenas durante períodos pandémicos.
 
Nunca foi tão importante lutar para que a saúde mental deixe de ser o irmão mais pobre do Serviço Nacional de Saúde (SNS), a fim de garantir a existência de um real investimento no mesmo e para que as pessoas não se esqueçam das promessas que foram realizadas para um reforço orçamental do SNS que beneficie todos os portugueses e portuguesas.

Luís Pinheiro – Psicólogo

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário