Voz da Póvoa
 
...

PRO.VAR Que os Apoios São Insuficientes

PRO.VAR Que os Apoios São Insuficientes

Nacional | 5 Março 2021

Segundo o comunicado da Associação PRO.VAR, O Governo respondeu positivamente a algumas pretensões da Associação, reforçando e antecipando o pagamento dos apoios, designadamente o APOIAR, contudo, será importante referir que estes apoios estão mesmo assim abaixo do que aquilo que o setor necessita, ficando a faltar limites bem mais elevados para empresas que tenham perdas superiores a 40%.

Conhecida a regulamentação das medidas estamos já a analisar em detalhe todos os apoios e respetivo enquadramento com as diversas tipologias de empresas, reconhecemos que houve um esforço por parte do Governo, respondendo a algumas das nossas reivindicações, mas apesar de ser um reforço importante para muitas empresas que já eram ou passaram a ser elegíveis, serão ainda assim insuficientes para muitas dessas e outras empresas pois estão com perdas elevadas e outras, cerca de metade, deverão continuar de fora dos apoios.

A PRO.VAR está a ultimar um documento para ser entregue ao Governo onde estarão entre as demais reivindicações, duas dessas propostas, a inclusão de empresas com perdas acima dos 40%, nos mesmos apoios que foram atribuídos às "Empresas encerradas por determinação legal ou administrativa" para poder beneficiar da majoração e uma outra majoração para o período em que as empresas estão sujeitas ao encerramento total ou parcial, no âmbito das restrições do estado de emergência, ainda que continuem a poder laborar em regime de Take Away.

Por outro lado, a PRO.VAR vai pedir ao Governo, que crie uma regulamentação, bem à semelhança do que irá acontecer aos supermercados, na limitação de vendas de alguns artigos, pedindo que se proíba a venda de refeições prontas fora dos espaços de restauração que estejam devidamente autorizados para a sua confeção.

A Associação alerta para o facto de estar em curso a maior "agressão" alguma vez feita ao setor da restauração pois para além de estarem a ser sujeitos a perdas elevadas, contam agora com uma nova concorrência, a proliferação de pontos de venda de refeições prontas, já não bastavam os cafés e pastelarias estarem a confecionar e a vender refeições, sem condições e autorização, para assistirmos agora a uma anarquia total, tudo virou restaurante, supermercados, talhos e bombas de gasolina promovem a venda de refeições prontas.

partilhar Facebook
14/PROVAR_01.jpg
295/diarios_de_uma_pandemia[.jpg
Banner Publicitário