Voz da Póvoa
 
...

Rotary Promoveu Palestra sobre Hospitalização Domiciliária

Rotary Promoveu Palestra sobre Hospitalização Domiciliária

Local | 6 Dezembro 2021

Como habitualmente o Rotary Club da Póvoa de Varzim reuniu no Hotel Axis Vermar, no dia 22 de Novembro, onde foi proferida uma Palestra subordinada ao tema “Unidade de Hospitalização Domiciliária do CHPVVC”, apresentada pelos Coordenadores da UHD, o Dr. Gert-Jan Vander Heijden e a Enf. Maria José Santos.

Ficamos a saber que a Hospitalização Domiciliária se define da seguinte forma: Contextualização, pressupostos, vantagens, empoderamento do doente – responsabilidade e partilha.

Há ainda os Algoritmos: admissão, retorno e alta, congressos e investigação.

Na Contextualização da Hospitalização domiciliária, a UHD (Unidade de Hospitalização Domiciliária) centra-se no doente e nas famílias/cuidadores, é um modelo de assistência hospitalar que se caracteriza pela prestação de cuidados no domicílio a doentes que cumpram os critérios clínicos, sociais e geográficos estabelecidos. Assenta em 5 princípios fundamentais: voluntariedade na aceitação do modelo; igualdade de direitos e deveres do doente; equivalência de qualidade na prestação de cuidados; rigor na admissão de doentes e no seu seguimento clínico; humanização de serviços e valorização do papel da família.

É uma alternativa ao internamento convencional. Proporciona assistência clínica de modo contínuo e coordenado. Vigilância da HD sempre de acordo com a vontade do doente e da sua família 24 horas por dia.

Pressupostos – A equipa da HD do CHPVVC é composta por médicos e enfermeiros que em articulação com outros profissionais, nomeadamente assistentes sociais, nutricionistas e farmacêuticas que garantem uma prestação de cuidados contínua e coordenada 24 horas por dia, 7 dias por semana todos os dias do ano. Para que isto aconteça é imprescindível que se estabeleça um forte compromisso entre profissionais, o doente e cuidadores, onde cada um assume o papel que lhe foi atribuído.

Vantagens – Garante mais e melhor acesso aos cuidados de saúde, promovendo a redução das complicações inerentes ao internamento convencional (como as quedas ou infecções). Cria um entorno psicológico mais favorável ao doente durante o período de tratamento. Valoriza o papel da família/cuidador, prevenindo a rejeição, o abandono e a institucionalização. Menor incidência de síndroma confusional agudo. Menor risco de acamar, de deterioração do estado funcional e de desnutrição. Maior envolvimento do doente e do cuidador em todo o processo. Contributo para a educação e literacia da comunidade e para uma maior adesão aos cuidados de saúde e à terapêutica.     

Empoderamento do doente – responsabilidade e partilha: Médico e Enfermeiro asseguram todos os cuidados hospitalares e disponibilizam os meios necessários para o cumprimento do plano de cuidados. O Doente assume o cumprimento do Plano de Cuidados, da autovigilância da evolução do seu estado de saúde e comunicação à equipa de saúde HD. O Cuidador substitui o doente, se necessário, na execução do autocuidado e na gestão do regime terapêutico.

O Rotary Clube da Póvoa de Varzim voltou a apostar na divulgação do conhecimento através de iniciativas de interesse público.

partilhar Facebook
Banner Publicitário