Voz da Póvoa
 
...

O Antes e Depois de Empreitadas Falhadas

O Antes e Depois de Empreitadas Falhadas

Local | 1955 | 24 Junho 2020

A Escola EB 2/3 Flávio Gonçalves e a Escola EB 2/3 de Aver-o-Mar foram dois estabelecimentos de ensino que viram interrompidas as suas obras de restauro e requalificação, por incapacidade dos empreiteiros em respeitar o caderno de encargos. A autarquia agiu em conformidade com a lei e assumiu novo concurso público para finalizar e concluir os trabalhos.

Com o objectivo de mostrar em que ponto se encontram cada uma das empreitadas, o Presidente da Câmara Municipal, Aires Pereira, convidou toda a vereação, incluindo os dois vereadores do PS, para uma visita às obras, que continuam a decorrer, quer nas escolas, quer no Centro Coordenador de Transportes, por onde começou a digressão.
 
A visita começou pela Reabilitação do Centro Coordenador de Transportes, onde um investimento de 1,6 milhões de euros está em bom ritmo e deverá mesmo estar concluído em Setembro. Luís Ramos, vereador das obras adiantou algumas das alterações e novas valências: “Deixamos apenas o esqueleto do edifício anterior e a intervenção aconteceu. Fizemos a renovação integral das áreas destinadas aos utentes. Há os escritórios que vão a concurso para as empresas de transportes e os que sobrar serão entregues também em concurso. Temos também sala para formação entre outras valências, como carregadores de veículos elétricos, uma área confortável de espera e, ainda, um Centro de Incubação de Empresas e vários escritórios que, a partir de setembro irão funcionar neste edifício. Numa primeira fase será aberto concurso para as empresas de camionagem que pretendam ocupar estes espaços e, numa segunda fase, para qualquer empresa que precise de um escritório. O objetivo é dinamizar o Centro de Transportes e aquela zona da cidade”.

E acrescentou: “Alteramos os arranjos exteriores. Os veículos circulam agora de forma organizada. A Central de Camionagem estava a ser usada como parque de estacionamento de viaturas pesadas, com câmaras frigoríficas que perturbavam, com o seu ruido, a vizinhança. Temos também um parque de assistência de passageiros, que chegam ou partem. Há também os que vem a pé ou de bicicleta e vão poder deixa-la”.
 
O contraditório foi possível observar nas vistas às escolas. Aires Pereira lembrou que “as equipas projetistas são as mesmas e as equipas de fiscalização também. A única diferença é que as empresas de construção não são as mesmas”.
 
Na Escola Flávio Gonçalves os erros de construção e de materiais eram de tal forma visíveis que a Câmara Municipal não teve outra alternativa e tomou posse administrativa no passado mês de abril, para lançar um novo concurso para corrigir e respeitar o projecto inicial.
A Diretora do Agrupamento, Dores Milhazes, depois de informar os presentes dos avisos deixados aos responsáveis da empreitada que fizeram sempre orelha surda, agradeceu ao Edil publicamente “o esforço para dar melhores condições às centenas de crianças que estudam naquele estabelecimento. No entanto, enquanto trabalhou na Escola, a empresa apenas deteriorou essas mesmas condições, abrindo diferentes “postos de batalha” e não terminando nenhum deles”.

Revestimentos e pavimentos desencontrados nos materiais na mesma sala, casamentos de cores sem nexo, portas com medidas erradas e acrescentadas madeiras com o sentido de iludir a fiscalização, paredes, tectos e chão de salas sem os acabamentos e remates necessários.
Mesmo com todos estes atropelos à obra, Aires Pereira acredita que em setembro do próximo ano os alunos terão o espaço que tanto merecem. Sempre tivemos a máxima compreensão por parte dos alunos, dos pais e do Conselho Directivo, que acompanharam todo o processo e testemunharam a falta de capacidade da empresa”.

Na visita à Escola EB 2/3 de Aver-o-Mar, o presidente lembrou a fase conturbada com a anterior empresa  de construção, mas após novo concurso as Construções Corte Recto, com um eficiente e profissional trabalho, deverá conclui a obra a tempo do inicio do no ano lectivo. “Temos aqui uma excelente obra de arquitetura e de execução da empreitada. O investimento nas escolas tem que ser a maior prioridade em qualquer autarquia. A população escolar de Aver-o-Mar, docente e não docente, sofreu bastante ao longo dos anos. A Escola tinha sido mal construída e agora estamos a colocar uma marca distintiva que honrará quem aqui trabalha e estuda”, explicou o Edil.

No final da reunião de Câmara, Aires Pereira, voltou ao assunto: “Enquanto presidente da Câmara tenho a obrigação de dar esta informação às pessoas que tomam decisões e que não têm, por razões obvias, de acompanhar, como nós que estamos em permanência, estes acontecimentos. Por vezes nada melhor do que visitar e ver com os nossos olhos, para termos uma outra sensibilidade aos problemas. Fomos visitar a Central de Camionagem e as pessoas perceberam qual é a estratégia, o que lá vai funcionar, o estado da obra. Depois visitamos a Escola Flávio Gonçalves para mostrar o ponto de situação daquela obra e o porquê da Câmara ter tomado as decisões que tomou. E depois nada melhor que terminar com um bom exemplo de uma recuperação de uma outra situação que logo no início interviemos e que hoje está ali uma obra magnífica e que vai dignificar Aver-o-Mar, a escola, o corpo docente, que sofreu tanto ao longo destes anos e o corpo não docente também. Os alunos passam ali a ter um sítio de referência ao nível do melhor que existe. Na próxima reunião de camara farei questão também de fazer uma visita à antiga garagem Linhares, para que as pessoas percebam o estado da obra e aquilo que vamos fazer a seguir”.

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário