Voz da Póvoa
 
...

Município Homenageia Arcebispo Emérito D. Jorge Ortiga

Município Homenageia Arcebispo Emérito D. Jorge Ortiga

Local | 19 Abril 2022

Aos homens o que é humano pertencer-lhes. Depois da proposta do presidente da Câmara Municipal ter merecido a aprovação por unanimidade numa reunião do Executivo, no passado mês de Fevereiro, o Salão Nobre dos Paços do Concelho foi o palco de honra para a sessão de entrega de Voto de Louvor ao Arcebispo Primaz Emérito de Braga, D. Jorge Ortiga, que agradeceu “de alma e coração”.

Aires Pereira fez questão de lembrar aos presentes, onde se encontravam os párocos das igrejas do concelho, mas também presidentes de Junta e autoridades militares, as razões que levaram a louvar o homenageado: “Estamos gratos a D. Jorge Ortiga pelo espírito de colaboração e postura agregadora em benefício das nossas pessoas e das paróquias do concelho, ao longo dos últimos 22 anos”.

Acrescentando que, “apreciamos, valorizamos e agradecemos a postura que a igreja tem tido nas paróquias do município, e também a legenda da vida que vai na capa da nossa identidade: O corpo muda, a alma permanece, é assim a Póvoa, é assim o poveiro”. O presidente da Câmara ofertou uma edição especial do livro ‘O Poveiro’, de António Santos Graça, que ilustra bem o homenageado como um verdadeiro poveiro “desprendido e altruísta, irmão e amigo de todos, mesmo daqueles que desconhece”. O relato de ‘O Poveiro’, tal como a ‘Epopeia dos Humildes’, traduz um tempo que nos orgulha e justifica porque é que “somos poveiros e não povoenses”.
 
Por sua vez, o Arcebispo Primaz Emérito de Braga começou por dizer que não gosta de homenagens mas, “aceito com humildade, e acima de tudo, agradeço de alma e coração, se a norma da vida, a minha em concreto, é um trabalho de ir semeando, em prol da comunidade e, se há reconhecimento, isso me dá alegria e prazer. É neste sentido que aceito, quando é na região da Póvoa de Varzim, onde acontece a unidade entre o civil e o religioso, uma unidade que se enriquece na aceitação da diferença “tendo D. Jorge Ortiga deixado para reflexão as seguintes palavras: “enquanto conseguirmos caminhar de olhos fixos no bem comum, estamos a trabalhar pelo povo, que é a razão de ser da Igreja, da paróquia, das autarquias. É o povo que nós servimos, como este povo bom da Póvoa de Varzim”, que o Arcebispo Emérito bem conhece desde a sua meninice “no verão ir à praia era ir à Póvoa”.

partilhar Facebook
Banner Publicitário