Voz da Póvoa
 
...

Foi Instalado em Aver-o-Mar o Centro de Vacinação COVID-19

Foi Instalado em Aver-o-Mar o Centro de Vacinação COVID-19

Local | 5 Março 2021

Abriu esta quinta-feira, no Centro Ocupacional de Aver-o-Mar, o Centro de Vacinação COVID-19 do ACeS (Agrupamento de Centros de Saúde) Póvoa de Varzim/Vila do Conde, com capacidade para vacinar 400 pessoas por dia.

O arranque da vacinação contou com a presença do Presidente da Câmara que manifestou total disponibilidade para apoiar as autoridades de saúde, referindo que mesmo arrancando de forma tímida, “era um dia importante para todos nós. O ACeS fez um esforço muito grande para que isto acontecesse. Temos todas as condições e capacidade instalada para vacinar até 400 pessoas por dia. Agora é preciso assegurar um fluxo de vacinas que permita que isso seja possível”, disse Aires Pereira e acrescentou que, “a Câmara criou as condições logísticas necessárias, com pessoal auxiliar”.

Quanto à durabilidade do Centro de Vacinação o edil acredita que deverá ficar instalado até final do ano: “Para conseguirmos vacinar mais de 60% de pessoas, temos pela frente um longo processo de vacinação. Caso seja necessário temos outras ofertas disponíveis para montar mais postos de vacinação. Pelas indicações que temos dentro de duas semanas passaremos à velocidade de cruzeiro, com vacinação diária”.

Para Aires Pereira é importante que “nesta primeira fase é fazer com que as pessoas que tiverem mais dificuldade, aquelas que de alguma maneira mais subcarregam o sistema nacional de Saúde, possam ficar desde já vacinadas. Agora, é muito importante que todos nós, como o deveríamos ter feito desde o início da pandemia, sejamos um agente de saúde pública e, ter os cuidados necessários, primeiro para não se infectar e segundo para não infectar os outros. Isso tem a ver com o afastamento, com o cumprimento das regras, mas infelizmente assistimos todos os dias a pessoas que resistem mantendo o incumprimento e quanto mais o fizerem mais tempo vamos estar nesta situação de confinados”.

E o Edil alerta: “Só porque estamos a vacinar, as pessoas não podem dar por adquirido que o vírus desapareceu, ele está aí e é preciso garantir 70% de imunidade na comunidade. Basta fazer algumas contas para perceber que havemos de atingir esse valor lá para o final do ano. O que quer dizer que vamos continuar em situação de pandemia e devemos tomar os cuidados que são necessários para não continuarmos a entupir o SNS, as Urgências, os cuidados intensivos, porque começam a ficar no limite das suas capacidades. E não me refiro só às questões de espaço mas também à exaustão em que os profissionais da saúde já atingiram nesta altura”.

No primeiro dia foram vacinadas 34 pessoas e no segundo estão previstas mais 150 pessoas, revelou a Diretora Executiva do ACeS, Judite Neves, que acrescenta: “Esperamos também saber quantas ampolas vamos ter na próxima semana para fazer os agendamentos”.

Quanto ao espaço disponibilizado pela Autarquia, a Directora do ACeS agradece: “Tentamos numa primeira fase ver se era possível criar dentro de cada uma das nossas unidades um centro de vacinação, mas as salas de espera não têm dimensão suficiente, junta da Câmara Municipal encontramos esta solução, como se pode ver tem uma dimensão significativa. Temos neste momento três postos de vacinação que a qualquer momento podem ser alargados a 8 postos. Se houver vacinas e for necessário temos salas para aumentar a capacidade. Estamos a arrancar e vai depender do número de vacinas que nos forem disponibilizadas, se houver um aumento de vacinas será adequado às estruturas locais que existem. O plano de vacinação prevê mais que um centro de vacinação, que a acontecer será em Vila do Conde”. As condições de segurança e administração da vacinação requer uma logística complicada, têm que ser num sítio único e a primeira opção recaiu aqui, na Póvoa de Varzim”.

Quanto ao plano de vacinação, Judite Neves esclareceu que, “neste momento são as pessoas com mais de 80 anos e de 50 anos com patologia cardíaca, respiratória e doença renal. No nosso sistema informático existe uma bolsa de elegíveis que são seleccionados para a vacinação. Nesta fase, os utentes recebem um SMS e tem que dar uma resposta, mas ninguém fica fora da vacinação. Termos cerca de 13 mil utentes elegíveis nesta primeira fase, sendo que cerca de metade conseguimos contactar por SMS e os outros terá que ser por telefone ou por carta, mas ninguém fica de fora”.
  

 

partilhar Facebook
Banner Publicitário