Voz da Póvoa
 
...

Festa de São Pedro Apadrinhou os Novos Fardamentos da Misericórdia

Festa de São Pedro Apadrinhou os Novos Fardamentos da Misericórdia

Local | 1915 | 3 Julho 2019

Não existe idade para festejar o São Pedro, nem maleita que impeça momentos de convívio e boa-disposição. Que o digam os utentes das várias valências da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim que comemoraram a preceito a festa do santo padroeiro. Na tarde de sexta-feira, um grupo de concertinas animou as hostes, convidando os utentes a um pezinho de dança, ao som das músicas tradicionais e dos tão aguardados cantares ao desafio, para alegria dos mais idosos. Festejar o São Pedro já ganhou raízes na Misericórdia da Póvoa e como não há festa sem rusgas, as tricanas da Santa Casa exibiram os seus trajes e convidaram os utentes a juntarem-se à festa. No final, saciado o espírito, foi a vez de saborear as sardinhas assadas e o caldo verde, em ambiente de partilha e sã confraternização. “Todos os anos procuramos manter as tradições e a ligação dos nossos utentes às festas da cidade. As nossas rusgas, os cantadores e os tocadores de concertinas, e as sardinhas assadas e o caldo verde são o prato principal da comunhão que existe entre os utentes e os trabalhadores desta Santa Casa”, sublinhou o provedor Virgílio Ferreira. A data festiva, que teve a particularidade de coincidir com a reunião de trabalho do Secretariado do Porto da União das Misericórdias, com o objectivo de trocar ideias no sentido de obter melhores acordos com o Estado, também serviu para apresentar as novas fardas das trabalhadoras da Santa Casa. “Estes novos fardamentos foram desenvolvidos por uma empresa poveira, a Prochef, de acordo com as categorias profissionais, como já é tradição na Misericórdia. Estamos num importante momento de inovação e de remodelação do funcionamento desta Santa Casa, a pensar no futuro, e os novos fardamentos enquadram-se neste desiderato”, explicou o provedor. Após o lançamento da primeira pedra do novo edifício da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI), uma obra orçada em mais de dois milhões de euros e comparticipada pelo Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) em 1,3 milhões de euros, está para breve a abertura do concurso público para esta empreitada que tem um prazo de execução de 20 meses. “Espero que os trabalhos possam ter início em Setembro ou Outubro. Estou convicto que dentro de dois anos a Misericórdia vai estar com uma imagem completamente diferente da actual, quer em organização, quer em instalações, para benefício dos nossos utentes e trabalhadores”, concluiu Virgílio Ferreira.
partilhar Facebook
9/Apresentacao-dos-novos-fardamentos-da-Santa-Casa.jpg
9/Reuniao-do-Secretariado-do-Porto-da-Uniao-das-Misericordias.jpg
9/Trabalhadores-e-utentes-festejaram-o-S.jpg
Banner Publicitário