Voz da Póvoa
 
...

Desfolhada Tradicional na Eira do Diana-Bar

Desfolhada Tradicional na Eira do Diana-Bar

Local | 1929 | 23 Outubro 2019

A tradicional desfolhada voltou a ser representada na Biblioteca Diana-Bar, pela Associação Desportiva e Recreativa Académico de Belém. A secular tradição mantém-se viva na Giesteira, onde a ruralidade ainda se pratica. Criado o cenário de uma eira comunitária, refazendo o espírito de entreajuda que existia entre as gentes do campo, os usos e costumes foram partilhados com as gentes mais urbanas. A alegria reinou também nos mais jovens, que, entre brincadeiras namoradeiras, trazidas do passado, deram largas à tradição no presente.

Quando o Setembro se despedia para entrar o Outubro, dava-se início às desfolhadas. As eiras enchiam-se de carros de milho e as pessoas do lugar, e não só, faziam roda para retirarem a maçaroca do milho. A tradição da espiga vermelha era a alegria da rapaziada. Quem a encontrava dava abraços a toda a gente e um beijo por quem o coração pulava. Depois, em ambiente de festa e confraternização, homens e mulheres, animados por cantares, partilhavam a merenda oferecida pelo lavrador. O final era sempre animado pelas concertinas que chamavam os pares à dança.

Foi com a intenção de não deixar morrer esta tradição que a Associação Desportiva e Recreativa Académico de Belém representou o passado, desta vez com a novidade de apresentar elementos do Rancho de Belém, que voltou ao activo, como sublinha Liliana Gomes: “Um dos objectivos desta nova direcção era reactivar o Rancho de Belém, que esteve inactivo alguns anos. Como era um representante da tradição do nosso lugar, onde existiram e ainda resistem lavradores, fizemos o possível para recuperar pessoas que pertenceram ao rancho e integrar caras novas. O Rancho de Belém já esteve presente na desfolhada realizada no lugar da Giesteira e agora voltou a participar na alegria da desfolhada no Diana-Bar. Dependemos de muita gente, da tocata, dos componentes do rancho, mas acima de tudo de uma forte união para conseguir fazer regressar e manter por muitos anos o Rancho de Belém, que é sem dúvida uma mais-valia para a associação”.

Recordamos que o Rancho de Belém foi fundado em 1953 para participar com as suas danças e cantares num concurso de Ranchos Populares. Saúda-se o regresso e a participação na desfolhada tradicional, com a procura do “milho rei, milho vermelho, em cada espiga desfolhada”, como assim cantava o Zeca Afonso.

partilhar Facebook
Banner Publicitário