Voz da Póvoa
 
...

Apropesca Com Novas Instalações no Porto de Pesca

Apropesca Com Novas Instalações no Porto de Pesca

Geral | 16 Maio 2021

Comemorar 35 anos serviu de razão para a Apropesca inaugurar na sexta-feira as suas novas instalações no porto da Póvoa de Varzim. A cerimónia contou com a presença do Ministro do Mar, Ricardo Serrão, Secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, Conselho de Administração da Docapesca, Sérgio Faias, Capitão do Porto de Pesca da Póvoa de Varzim, Bruno Ferreira Teles, sem esquecer entidades representativas do sector da pesca, agremiações poveiras entre outras ilustres figuras, como deputados e as vereadoras Lucinda Amorim e Dália Vieira, em representação das Câmaras da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, respectivamente.

Para Carlos Cruz, presidente da Organização de Produtores de Pesca Artesanal, o momento que estava a viver era o acordar de um sonho que “custou a concretizar devido ao ano de 2020 difícil que atravessámos e ainda, não se antevê neste novo ano melhoras. Ter as instalações concluídas é muito importante para nós, porque vão servir para as nossas reuniões, que até aqui tinham lugar na Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde. Este espaço estará também disponível para outras entidades locais, sempre que nos solicitarem. É um passo em frente e um novo ciclo que vivemos”.

Entre outras valências foram “restauradas as casas de banho que vão estar abertas ao público, assim como adquiridos três novos empilhadores, que se juntam a mais um. Foi revelado também o investimento de meio milhão de euros, com 75% a ser cofinanciado pelo programa Mar 2020”, revelou o dirigente e, acrescentou que ter novas instalações não significa abandonar as velhas, “até porque temos lá a capela e a casa mortuária, e não esquecemos que fomos nós que fizemos a recuperação do edifício”.

Numa análise mais aprofundada dos efeitos nefastos da pandemia no sector das pescas, Carlos Cruz lembrou que foram feitos muitos investimentos na protecção individual, “compramos máscaras, gel, testes e termómetros. Isso permitiu-nos realizar o nosso trabalho sem dever nada a ninguém. Este ano será uma incógnita, se as fronteiras voltarem a fechar então o nosso pescado não terá o valor que pode e deve ter. No entanto, algumas embarcações já receberam a totalidade das compensações pela paragem de dois meses e há outras que estarão no mesmo caminho”.

Pelo meio ainda deu para cantar dois fados para surpresa do Ministro do Mar, Ricardo Serrão, que revelou que o Governo “tem estado próximo do sector e ao lado dos seus profissionais, sendo que as organizações de produtores são fundamentais no que respeita às políticas de pesca. Depois, o facto de terem instalações de qualidade e dignas permitem dar ainda maior apoio aos pescadores, mantendo a qualidade necessária. Neste tempo de pandemia, temos apoiado e acompanhado um sector que se mostrou resiliente e sem casos relevantes de contaminação, continuando a fornecer pescado ao nosso país”. O ministro destacou também a importância das dragagens no Porto de Pesca, que possibilitam uma maior segurança dos homens do mar.

partilhar Facebook
Banner Publicitário