Voz da Póvoa
 
...

A Voz da Póvoa

A Voz da Póvoa

Geral | 21 Janeiro 2021

Foram nove meses de uma gravidez de risco. Abril chegou em Estado de Emergência que mandou quase toda a gente para casa. Quase, porque nós ficamos na missão de informar, na linha da frente, como se diz agora.

Quem nos vendia em papel, alguns recolheram a casa, outros encerraram as portas mais cedo, outros elogio-lhes a coragem, cumpriram horários e nunca deixaram de nos destacar na montra, aos olhos de quem nos procura, porque gosta, porque acredita, porque sentiu que era uma das formas de ajudar a velhinha Voz da Póvoa a não calar, mesmo diminuindo as vendas.

Aos mais de mil assinantes temos que agradecer a paciência pela negligência dos CTT em entregar a tempo e horas, às vezes, uma ou duas semanas depois e, no estrangeiro, onde mantemos assinantes em 19 países, alguns no Brasil ou África do Sul, deixaram simplesmente de nos receber por dois ou três meses. O nosso obrigado por não desistirem e insistirem. Estes sim, Poveiros de gema e outros tantos de coração.

Aos nossos anunciantes o mesmo agradecimento, por acreditarem que publicitamos as suas actividades comerciais e industriais, ajudando-os a expandir o negócio e a aumentar o número de clientes.

Não fomos imunes à pandemia, também nos criou mossa e obrigou a uma restruturação, passando de semanal a quinzenal, adicionando três jornais em meses de cinco semanas. Abanámos para nos equilibrar, equilibramo-nos para crescer com verticalidade.

Ontem e hoje, lideramos nas preferências dos leitores, segundo estudos da Marktest para a Imprensa Regional. Se dúvidas houvesse, bastaria perguntar num posto de vendas.

Com lealdade, a concorrência é sempre bem-vinda, mais ainda, quando cada um se diferencia na qualidade, na isenção, na liberdade de expressão. A imprensa livre é o garante da Democracia e só se torna uma Voz incómoda quando estes valores são suprimidos ou ignorados pelos eleitos. A única vontade é que através da nossa Voz, a Póvoa siga o caminho do progresso. 
Desejamos a todos um feliz Natal e um ano 2021 sem máscara. Voltamos a 13 de Janeiro, depois de duas semanas de merecidas férias ‘em casa’.

A Equipa, A Voz da Póvoa

partilhar Facebook
Banner Publicitário