Voz da Póvoa
 
...

O Futebol da Associação S. Pedro de Rates Tem Casa Nova

O Futebol da Associação S. Pedro de Rates Tem Casa Nova

Freguesias | 24 Novembro 2020

A Associação de Amizade de S. Pedro de Rates foi fundada a 26 de Novembro de 1976. O objectivo foi a dinamização cultural, desportiva e recreativa, com destaque para a promoção em exposições e feiras do artesanato local, assim como a publicação de livros sobre património cultural de Rates. Desde 1983, abraçou e integrou na associação o Rancho Folclórico de S. Pedro de Rates, que conta 50 anos de actividade. No campo desportivo, a equipa de futebol sénior, que chegou a jogar vários anos em competições oficiais, actualmente participa nos campeonatos de futebol do Inter-freguesias da Póvoa de Varzim, organizados pela Associação de Futebol Popular.

Adérito da Silva Serra nasceu em 1971, em Rates. É motorista de Transportes Colectivos e desde 2011 assume a presidência da Associação de Amizade de S. Pedro de Rates. “Chegámos a ter outras modalidades como o ténis de mesa e o atletismo, mas neste momento, a aposta continua a ser o futebol, onde temos mais de uma centena de praticantes em vários escalões de formação. A equipa de futebol chegou a estar federada na Associação de Futebol do Porto e participou várias épocas nos campeonatos distritais. Tínhamos muitos sócios e apoiantes, mas numa época que tínhamos tudo para subir, fomos impedidos no último jogo em nossa própria casa por uma arbitragem habilidosa e o antigo presidente, Armindo Ferreira, decidiu acabar com a equipa federada. Agora, participamos no Inter-freguesias”, acrescenta.

Com a pandemia os campeonato foram interrompidos, num ano em que havia a possibilidade de ganhar um título: “A Associação de Futebol Popular juntamente com a Câmara Municipal, cumprindo as directrizes da Direcção-Geral da Saúde, decidiram interromper os campeonatos e o remédio foi ir para casa. Foi pena, porque a equipa de futebol Infantil tinha 7 pontos de avanço e tudo para sermos campeões, como já o fomos em Escolinhas e Juvenis, mas por causa da pandemia não foi possível terminar o campeonato. Era importante protege-los. Sabemos que estão todos ansiosos para dar uns pontapés na bola, mas não é possível. A prática desportiva é fundamental para os miúdos, porque acabam por compreender a importância do trabalho de grupo”.

E Adérito Serra acrescenta: “Os campeonatos de 2020/2021 ainda não tiveram luz verde para arrancar. Ainda se pensou na possibilidade de realizar o campeonato de futebol sénior, mas os clubes decidiram que não era bom por causa da Covid-19. Depois, temos que perceber que os clubes não têm condições para estar constantemente a fazer testes e de momento as coisas até se complicaram a nível nacional e global. Creio que só vai ser possível voltar a jogar na época 2021/2022. Penso que devemos ter paciência e preparar a próxima temporada, depois de inaugurar o nosso campo de futebol, que está praticamente pronto. Recordo que nos últimos três anos os nossos jogos em casa eram realizados em Terroso. Em todo este tempo, treinamos em vários campos. Começamos na freguesia de Arcos, depois fomos para Rio Mau e, ultimamente treinávamos, às segundas, terças e quintas, com as quatro equipas (Escolinhas, Infantis, Juvenis e Seniores) que tínhamos a participar nos campeonatos do Inter-freguesias, no campo do Paradela, mais perto e com melhores condições. Pagávamos uma certa verba para as despesas de manutenção”.
 
Como as obras no campo do Limarinho estão praticamente terminadas, a sua inauguração deverá acontecer no próximo ano: “Era bom que fosse possível inaugurar o campo com um jogo de futebol. Acredito que possa acontecer em Maio ou Junho. Está tudo pronto, falta apenas terminar o Bar e uns acabamentos. O novo campo está excelente, basta corrigir alguns pormenores, ajustes normais numa obra desta dimensão. Fez três anos em Agosto que deixamos de usar o velhinho campo do Limarinho. Estamos ansiosos por usufruir das novas instalações. Quem sabe, podíamos ter aqui na inauguração uma equipa do Varzim. Depois, gostamos de participar primeiro por desporto, mas o objectivo é sempre ganhar o campeonato. Acredito que agora, com relvado sintético e excelentes instalações, podemos ambicionar títulos. É natural que os jogadores gostem de jogar num bom campo”.

Segundo Adérito Serra, o novo campo baixou cerca de três metros em relação ao piso do anterior: “O antigo campo do Limarinho era um terreno da Junta onde os serviços de limpeza da Câmara depositavam lixo. Depois, foram acrescentadas toneladas de saibro, entulho e pedras que vieram do Cais da Póvoa. Esse velho campo, novo na altura, ficou muito mais alto. Trabalhei muito tempo a carregar saibro da saibreira que tinha no alto da Serra de Rates, saíram de lá muitas cargas de saibro. Veio muita pedra do Cais da Póvoa para fazer os paredões e amparar a terra. Tinha paredes pela parte mais funda do terreno com mais de 4 ou 5 metros. Nessa altura, trabalhei muitos sábados e domingos a fazer o campo. Foi no tempo do Armindo Ferreira, como presidente da Junta. Ele arranjava funcionários da Câmara para trabalhar na construção do velho campo do Limarinho. Mais tarde, veio uma máquina niveladora para tronar o campo praticável. O antigo campo da bola não tinha bancada, apenas uma cobertura pequena para abrigar uma dúzia de pessoas da chuva. Como estive na construção do primeiro campo do Limarinho, espero agora inaugurar este novo com o mesmo nome”.

E conclui: “A junta de Freguesia, na pessoa de Paulo João, ajuda-nos muito e é uma peça fundamental no apoio à associação. Naturalmente, uma obra desta dimensão só podia ser concretizada com o financiamento da Câmara Municipal, cabe-me agradecer o esforço e a vontade de todos, para que possamos brevemente inaugurar a nova casa”.

Por: José Peixoto

partilhar Facebook
Banner Publicitário