Voz da Póvoa
 
...

Escuteiros de S. Pedro de Rates Festejam a Prata

Escuteiros de S. Pedro de Rates Festejam a Prata

Freguesias | 2 Dezembro 2020

Com a prata da casa fizeram 25 anos de vida. Fruto da convicção e da acção do primeiro Chefe de Agrupamento Albino MarqueS Correia e do Assistente de Agrupamento Padre Manuel Sá Ribeiro. Naquele dia 15 de Outubro de 1995, centenas de escuteiros rumaram à vila românica para as primeiras promessas do Agrupamento 1072 São Pedro de Rates. Hoje, habitam a antiga estação local do caminho-de-ferro.

As bodas de prata não puderam ser festejadas em convívio, devido aos tempos de pandemia que vivemos, mas há sempre uma ou várias palavras para nos enternecer de histórias passadas, pela razão única de ser escuteiro. Actualmente, o Agrupamento é composto por cerca de 70 elementos.

Manuel Fernando Ferreira Moreira nasceu em 1964, em Rates. É técnico de Escritório e chefe do Agrupamento 1072-Rates, que ajudou a fundar. “Fui convidado pelo pároco há 26 anos, primeiro para fazer uma formação e depois é que se fundou o agrupamento. Naquele dia fizeram a promessa, os novos e os mais velhos. A partir daí, todos os anos temos promessas. Este ano, fizemos antes de começar o confinamento, no primeiro domingo de Março. As promessas dos escuteiros são feitas por aqueles que entram pela primeira vez e pelos que passam de secção. Temos escuteiros que começaram pequeninos e hoje já são chefes ou candidatos. Actualmente, há já filhos de elementos do Agrupamento no escutismo, eu tenho dois”, recorda.

A obrigação de interromper grande parte das actividades, devido à pandemia, foi para Manuel Moreira, recebida com tristeza: “Foi um choque, porque tínhamos muitas actividades programadas para os 25 anos do Agrupamento. Chegou o Março e, com ele, o isolamento. Tivemos que cancelar tudo e fomos mantendo o contacto com os jovens através das redes sociais. Foi complicado, porque provocou uma grande ansiedade em quem estava habituado a uma série de obrigações com o outro, aquele que precisa de nós. Os jovens querem muito regressar às actividades, mas neste momento só os Chefes e os Caminheiros podem fazer algum serviço, pela experiência que têm, mas neste momento, estamos apenas a dar apoio à paróquia. Antes da Covid-19, participávamos com os Pioneiros nos acampamentos de jovens, organizados pela Câmara Municipal. Nas cerimónias religiosas, procissões, peregrinação a Laúndos, apoiávamos distribuindo águas peles figurantes e peregrinos. Os jovens escuteiros aprendem a ser solidários e a ajudar sem cobrar nada, mas também a serem respeitadores do meio ambiente”.

E acrescenta: “Antes da Covid-19, dávamos formação humana e religiosa, apoio e algum ensinamento às crianças e jovens, quer humanos, quer sociais, por esta nossa associação à paróquia. O padre Manuel Sá Ribeiro é o assistente do Agrupamento desde a sua fundação. Participávamos também todos os anos em acampamentos e, este ano tínhamos programado fazer uma actividade com antigos escuteiros para relembrar momentos passados. Para a festa que foi adiada para o próximo ano, para além das muitas iniciativas e actividades com os actuais escuteiros, íamos convidar todos os agrupamentos do Núcleo que abrange Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Esposende, mas também o Chefe Nacional, o Chefe Regional, as autoridades locais e municipais”.

 Manuel Moreira revela que, “O Agrupamento também colabora em campanhas solidárias, como o peditório da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Queremos regressar a esta nossa missão, por isso, espero que a pandemia passe rapidamente para podermos voltar a fazer as actividades para as quais estamos vocacionados”.

Por. José Peixoto

partilhar Facebook
621/005-Agrupamento-de-Escuteuris-de-S.-Pedro-de-Rates_.jpg
621/IMG_7175.JPG
Banner Publicitário