Voz da Póvoa
 
...

Escola Passos de Dança a Ensaiar o Futuro

Escola Passos de Dança a Ensaiar o Futuro

Educação | 14 Outubro 2021

Acordar, abrir o mundo, sentir primeiro, dançar depois, muito além de todos os estereótipos, géneros e cores, homem ou mulher, gordo, magro, dançar é pular a vida, escrever no corpo poemas de movimento, viajar nas asas de uma criança feliz e saber dar dimensão aos passos de dança que vivem em cada gesto, em cada olhar.

É dentro da paisagem deste imaginário indizível que se explica o nascimento da “Escola Passos de Dança” que sob a direcção pedagógica de Márcia Ferreira (ARAD, Fellow IDTA hons e PBT certificated), surge em Novembro de 2006 no coração da cidade da Trofa, com o objectivo de oferecer um ensino da dança de qualidade e acessível a todos. A escola é certificada pela International Dance Teachers Association (IDTA), e apresenta alunos aos exames de Ballet Clássico, Modern Jazz e Sapateado, obtendo sempre excelentes resultados. Os seus alunos participaram já em vários concursos e cursos nacionais e internacionais, arrecadando diversos prémios e bolsas de estudo, integrando escolas de formação profissional, internacionalmente reconhecidas e recomendadas, tais como: Northern Ballet School; Northern Contemporary Dance School; Phil Winston Theatreworks; Ballet Theatre Uk; Dutch National Ballet Academy; École de Danse Contemporaine de Paris; Royal Ballet School Uk; Joffrey Ballet School, entre outras. Algumas alunas da Escola Passos de Dança obtiveram bolsas e formaram-se, outras ainda se estão a formar em algumas destas escolas.

“A Escola oferece várias vertentes de ensino, extra curricular, que visa os alunos que frequentam as aulas como hobby ou ocupação do seu tempo livre, duas ou três vezes por semana; e ainda a vertente vocacional para os alunos que querem apostar num ensino formativo e que, mais tarde, lhes possa proporcionar uma carreira profissional. Disponibiliza também diversas modalidades que complementam a oferta formativa de qualidade, servem de exemplo as disciplinas de contemporâneo, Jazz, PBT - Progressing Ballet Technique, Teatro, Hip-hop, Sapateado, Condicionamento físico e Pilates. “Qualquer destas disciplinas são ferramentas preciosas para o desenvolvimento do aluno no seu todo, conferindo-lhe maior versatilidade enquanto bailarinos. O nosso foco permanece no trabalho direccionado para um ensino de qualidade, orientado por professores devidamente qualificados e de méritos reconhecidos a nível nacional e internacional”, esclarece Carla Maria Saldanha Gonçalves Fontes.

 Nasceu em Santo Tirso há 43 anos. É licenciada em Ciências da Educação e juntamente com o marido e Arquitecto Jorge Lopes, abraçaram em 2020, num contexto de pandemia e de elevado risco, a oportunidade da Passos de Dança criar um novo projecto, numa outra cidade.

Sempre a pensar no futuro, Carla Saldanha decide propôr uma parceria com a professora Márcia Ferreira para a expansão da escola Passos de Dança, surgindo assim um novo pólo na Póvoa de Varzim, na Avenida Mouzinho de Albuquerque: “A escolha para essa parceira fundamentou-se na linha orientadora pedagógica, uma vez que eu mãe Carla, sigo de perto o trabalho que a escola desenvolve com a minha filha, desde muito nova, no pólo da Trofa. Admito não abrir mão de um ensino formativo e de qualidade para o pólo da Póvoa de Varzim. Com esse propósito, é uma exigência a qualificação reconhecida e certificada de todo o corpo docente, em todas as disciplinas”.

Mais que Competir a Intenção é Formar Bailarinos Felizes

No primeiro ano da Passos de Dança, na Póvoa de Varzim, mesmo enfrentando um confinamento de três meses aliado a todas as limitações e adversidades face à pandemia, a Escola arrecadou diversos prémios a nível nacional e internacional. A competição tem objectivos importantes, mas para Carla Saldanha, não pode centralizar o interesse do aluno: “Eu acho o factor competitivo muito importante porque é uma experiência que dá maturidade ao aluno, mas não considero isso a exigência maior, não é esse o nosso foco principal. Nós não queremos, nem a directora pedagógica Márcia Ferreira tem isso como filosofia, formar cavalos de corrida. O que queremos é formar bailarinos felizes e acompanhar a sua evolução. Gosto de estar perto dos alunos e procuro acompanhá-los em todos os processos”.

E acrescenta: “O aluno é visto aqui pelo seu todo. A minha filha dança ballet desde os 3 anos. Aos 8 anos, passou a ser orientada pela professora Márcia e notei logo uma evolução muito grande. A aproximação dos pais à escola é muito importante. É preciso perceber o ‘timing’ do aluno, o físico ou a questões emocionais associadas. Os pais não devem sonhar pelos filhos, eles sabem sonhar sozinhos. São os filhos que têm que querer. Depois, há alunos que fazem coisas belíssimas do ponto de vista técnico, mas falta-lhes a parte artística, a expressão, o movimento de mãos, a harmonia. Um aluno tem que estar trabalhado de forma artística também. Isso dá muito trabalho e o aluno tem que sonhar com esse desejo, não são os pais. Uma aluna para estar completamente à vontade em cima das pontas tem que ter estrutura muscular e força suficiente. Tudo isto que vou sabendo, aprendi-o junto da professora Márcia porque quero acompanhar a minha filha da melhor forma possível”.

Para assegurar o melhor para os alunos da Escola Passos de Dança, Carla Saldanha revela que “os nossos docentes passaram todos por uma formação intensa e de qualidade, nacional e/ou internacional, sendo por isso devidamente acreditados; para além disso, continuam em constante formação, por exemplo durante este período de pandemia, aproveitaram a oferta formativa online e realizaram um curso relacionado com a anatomia e fisiologia para professores de dança, que visa enriquecer o seu conhecimento, bem como transmiti-lo aos alunos de forma precisa. É importante estar entregue a uma equipa de confiança”.

A intenção é sempre partir para um ensino valorizado: “Considero importante que os pais se preocupem em saber como têm corrido as aulas ou como o seu educando se tem adaptado ou integrado com os colegas. O importante é perceber a evolução do aluno e experimentar coisas novas na dança. A minha filha foi para a dança porque não parava quieta, dançava em todo o lado, abanava o rabo ainda com a fralda. Tive que a pôr a dançar. Foi à primeira aula e nunca mais deixou de dançar. É a sua vontade que prevalece. Nesta escola, após um ano de existência, o objectivo permanece num trabalho minucioso e de qualidade, de acordo com a ambição dos nossos alunos”.

Carla Saldanha foi mais longe: “Conseguimos estabelecer uma importante parceria com uma entidade local, a Varazim Teatro, de forma a promover as artes do espectáculo juntamente com a comunidade local. Este ano lectivo, a escola entendeu também englobar no seu projecto uma maior consciencialização social, disponibilizando um ensino acessível e inclusivo a todos. Foram criadas turmas de variadas modalidades, tais como o jazz, as danças de salão, flamenco, sevilhanas e aulas de pilates e acro dance. Foram modalidades que abrimos com professores qualificados, para adultos e para miúdos que não sejam alunos da escola. Pensamos na inclusão, em receber alunos que têm alguma deficiência ou défice cognitivo. Depois da pandemia temos esta necessidade de sair, de praticar saúde”.

A Importância da Formação para Tecer de Dança o Corpo

Paralelamente - direccionada pela directora pedagógica da Escola Passos de Dança, Márcia Ferreira - surge em Janeiro de 2021 a Moving Forward Teaching Academy: uma academia de formação vocacionada para o ensino de professores de dança, na qual os cursos ministrados são também reconhecidos pela IDTA (International Dance Teachers Association) que é uma instituição acreditada pelo Dance Council International em Inglaterra, pelo que todos os exames profissionais de professores são reconhecidos pelo governo inglês.

Apesar de Márcia Ferreira já formar professores de dança há vários anos, é em 2021, inserido no crescimento exponencial do online, que a Moving Forward Teaching Academy ganha corpo e forma. “Com apenas meses de existência, conta já com alunos de diversas nacionalidades: Portugal, Brasil, Inglaterra e Irlanda. Ou seja, está a ter uma adesão muito boa. Há professoras em escolas das redondezas que foram formadas pela professora Márcia Ferreira na área do Clássico. Por vezes, não damos muito valor ao que temos cá dentro. Márcia Ferreira, no contexto internacional, é muito conhecida e reconhecida. É uma pessoa capaz de guiar e orientar devidamente o processo de um aluno na dança, que tem como objetivo por exemplo integrar uma escola internacional conceituada”.

Carla Saldanha entregou-se de corpo inteiro à Escola Passos de Dança: “Tento acompanhar o melhor possível cada aluno, mas quando solicitada para qualquer esclarecimento relacionado com as aulas de dança, sempre recorro aos professores. Nesta escola, qualquer aluno que esteja na vertente lúdica, por hobby ou por querer alcançar um futuro no mundo da dança, a partir do momento que tem que ser avaliado por professores, a única coisa que quero é saber se o aluno está a ter uma boa formação. É essa a exigência e luto muito para que isso aconteça, falo com a professora Márcia todos os dias e com todos os outros professores, valorizo tudo o que eles me dizem”.

O pólo inicial nasceu na Trofa há 15 anos e o corpo docente é composto por 8 professores. A escola aceita inscrições a partir dos 3 anos e em qualquer altura do ano.

José Peixoto

partilhar Facebook
Banner Publicitário