Voz da Póvoa
 
...

O Rancho Poveiro É Fiel Embaixador das Nossas Raízes e Tradições

O Rancho Poveiro É Fiel Embaixador das Nossas Raízes e Tradições

Cultura | 1943 | 12 Fevereiro 2020

O Rancho Poveiro, que caminha a passos largos para os 85 anos de idade, esteve recentemente no Brasil. A viagem, de 22 dias, teve como propósito a participação no 90º aniversário da Casa dos Poveiros do Rio de Janeiro, que foi celebrado no passado dia 12 de Janeiro, mas a estadia por ‘Terra de Vera Cruz’ também foi aproveitada para visitar a Casa dos Poveiros de São Paulo, bem como as cidades de São Lourenço e Passa Quatro, pertencentes ao estado brasileiro de Minas Gerais.

Fiel embaixador das nossas raízes e tradições, o Rancho Poveiro brilhou junto da diáspora radicada no Brasil e participou em inúmeras iniciativas, levando nas suas danças e cantares um pouco da nossa ‘Póvoa do Mar’ aos nossos conterrâneos e seus descendentes, que nunca esquecem a terra que os viu nascer e que ainda hoje, apesar da distância, carregam no coração este orgulho de ser ‘Poveirinho pela Graça de Deus’.

“Foi extremamente gratificante participar nos 90 anos da Casa dos Poveiros do Rio de Janeiro e estar junto dos poveiros ainda vivos, dos seus descendentes e também da comunidade brasileira, levando connosco, para o outro lado do Atlântico, a nossa história, cultura e tradições. Fomos extremamente bem acolhidos e sentimos que a nossa presença foi como uma lufada de ar fresco para aquela comunidade”, referiu Jacinto Sá, responsável pelo Rancho Poveiro desde 1974.

Ao todo, foram 22 dias de intensa actividade para os 33 componentes do Rancho Poveiro, já que as solicitações e os convívios foram muitos, acrescentou Jacinto Sá: “Vivemos excelentes momentos, de trabalho, lazer e confraternização junto da nossa diáspora de além-mar. O ponto alto das comemorações aconteceu a 12 de Janeiro, dia do aniversário da Casa dos Poveiros do Rio de Janeiro, em que fomos cantar numa missa comemorativa a Santo António dos Pobres. Depois seguimos para São Paulo, tivemos ainda em Passa Quatro e São Lourenço, já no estado de Minas Gerais, e regressamos ao Rio de Janeiro para prosseguirmos com as nossas actuações nas casas portuguesas. Houve uma altura em que tivemos exibições durante vários dias seguidos, mas a forma como éramos recebidos e acarinhados fazia esquecer o calor e o cansaço. No entanto, quero deixar uma palavra de agradecimento a todos os componentes do Rancho Poveiro porque foram inexcedíveis e representaram muito bem a Póvoa de Varzim”.

A Casa dos Poveiros do Rio de Janeiro – Sociedade Recreativa e Cultural de Benemerência de Utilidade Pública Municipal foi fundada em 1930 e continua a preencher um importante papel de ligação com a Póvoa de Varzim, junto dos poveiros e seus descendentes residentes na ‘cidade maravilhosa’.

Jacinto Sá, que também assume a responsabilidade de ser o interlocutor entre o Município da Póvoa de Varzim e a Casa dos Poveiros do Rio de Janeiro, referiu: “Dos poveiros que partiram para o Brasil nas décadas de 40 e 50 do século passado, poucos são aqueles que ainda estão vivos, mas existem descendentes de poveiros e até brasileiros que gostam de frequentar a Casa dos Poveiros. Acredito que o futuro vai ser assegurado”.

Por mera curiosidade, perguntamos ao responsável do Rancho Poveiro se existem diferenças entre o poveiro-carioca e o poveiro-paulista. “Todos têm imenso orgulho em ser poveiros e defendem a Póvoa de Varzim como ninguém. Não existem diferenças no trato, mas o poveiro-carioca é mais expansivo que o poveiro-paulista. Isso advém da própria cultura das duas cidades. No Rio de Janeiro reina a festa, o futebol e o samba, enquanto em São Paulo as pessoas dedicam-se mais ao trabalho e às responsabilidades do dia-a-dia”.

Em 2021, o Rancho Poveiro vai comemorar 85 anos de existência e Jacinto Sá assume o compromisso do grupo em “continuar a engrandecer a Póvoa e os Poveiros”


Leia a notícia na íntegra na edição impressa

partilhar Facebook
Banner Publicitário