Voz da Póvoa
 
...

Bairro de Regufe

Bairro de Regufe

Cultura | 1955 | 24 Junho 2020

O Farol, símbolo maior do Bairro de Regufe, quantas vezes facho nas mãos e em marcha pelas ruas e palcos das festas do São Pedro. Agora que o meio século foi vivido e festejado, o tempo trouxe do oriente uma pandemia que obrigou a transportar tudo aquilo que estava pensado e preparado para o próximo ano como arcos novos, trono, a marcha e o tema “Regufe a casa de São Pedro".

Para o presidente do Grupo Recreativo de Regufe, Sérgio Ferraz, foi tudo adiado: “Temos consciência que houve muito investimento por parte de algumas tricanas no desenho do seu avental, que continha o símbolo que ia ser usado para estas festas. Por isso, transportamos tudo para o próximo ano. Ainda assim, preparamos algumas surpresas para ser divulgadas online. No dia 28 vamos ter a macha do ano passado, Regufe Cinquentenário, tocada pelos nossos músicos e cantada pelos componentes da rusga sénior. Cada um, em sua casa, gravou o seu vídeo”.

Canceladas as festas, Sérgio Ferraz faz um apelo: “A minha sardinhada vai ser em família, com alguns amigos, numa casa que tem condições para convivermos. Sei que haverá muita nostalgia, mas quero desejar um bom S. Pedro aos apoiantes do Regufe e a todos os poveiros. Festejem nas vossas casas, convidem os familiares e divirtam-se, mas em segurança. Este é o S. Pedro Possível. Não vamos estragar todo o esforço que foi feito até aqui pela autarquia. Para o ano festejamos a dobrar”.

 

Regufe, a Casa de São Pedro!

O São Pedro veio à Póvoa
E curioso para a conhecer
Viu tantos e belos monumentos
Que jamais conseguirá esquecer

Impressionou-o o Forte
Da Nossa Senhora da Conceição
Adorou a Igreja da Lapa
Onde se reza com devoção

Cansado da longa jornada
São Pedro precisou descansar
A casa do Farol, em Regufe
Ele escolheu para pernoitar
Centenário é o Farol
Mas sua luz continua brilhante
Monumento por muitos esquecido
Para nós ele é o mais importante

Visitou a Igreja Matriz
Com gracioso e sublime altar
Parou bem junto do coreto
Para ouvir a banda a tocar

P’la Junqueira cheia de gente
Chegou a São José de Ribamar
E acabou o dia na praia
Com banhos de sol e também de mar


Letra: Sérgio Ferraz
Música: Paulo Veiga


Leia a notícia na íntegra na edição impressa

partilhar Facebook
413/RS0_1238_tiago_ferreira_e_Ana_Fernandes_.jpg
413/Regufe_Bairro.jpg
Banner Publicitário