Voz da Póvoa
 
...

Era uma Vez uma Distância Segura

Era uma Vez uma Distância Segura

1 Agosto 2020 | 18:43

Lemos e ouvimos dizer que, as grandes superfícies comerciais são centros de transmissão de vírus, se não forem cumpridas as regras de distanciamento social. Quando o país se fechou em casa, em Estado de Emergência, estes mercados, alimentados por grandes grupos económicos, ainda sem imporem qualquer protecção aos seus funcionários, nem qualquer obrigação de uso de máscara, embora as vendessem a bom preço, assim como o álcool ou o Gel Desinfectante, preocuparam-se, pelo menos em respeitar minimamente as regras que impunham limitação de clientes no seu espaço comercial. As entradas eram controladas por seguranças e a fila estendia-se enormemente, Gente e carrinho.

Foi sol de pouca dura. Veio o Estado de Calamidade e já ninguém controlava ninguém. Hoje, chega a ser assustador o número de pessoas que se movimenta nas compras, dentro destas grandes superfícies, vulgo Super ou Híper Mercados, sem qualquer controlo de clientes, como se a máscara fosse suficiente para impedir o contágio. E sabemos que não.
 
A regra é, tudo ao monte e fé em Deus. O grupo Lidl parece ser, pelo menos, no concelho da Póvoa de Varzim, o único que se preocupa com a regra de Distanciamento Social e continua a limitar as entras de clientes nos seus espaços comerciais. Quanto aos outros ou outras o leitor sabe bem a quem assiste a razão.

Naturalmente as viaturas da Protecção Civil e da Policia Municipal, com os seus avisos de alerta à comunidade no tejadilho, não entram nestas novas feiras. É pena porque enquanto uns se esforçam para que todos percebam que o bicho anda aí, outros apenas se preocupam com a conta bancária. Também é certo e sabido que, lá diz o adágio popular “Cão pequeno nunca ferrou num grande”, mas neste caso podem os dois acabar mordidos pelo Coronavírus.

partilhar Facebook
Banner Publicitário