Política

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS
Bloco de Esquerda Ambiciona Chegar à Vereação da Câmara
Victor Pinto Promete Fazer uma Oposição Diferente dos Socialistas

Victor-Pinto

Victor Pinto foi o escolhido pela estrutura local do Bloco de Esquerda (BE) para encabeçar a lista do partido à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim nas próximas eleições autárquicas. A candidatura só carece de ratificação por parte da estrutura distrital. O candidato, de 41 anos, é assessor parlamentar na Assembleia da República.

Victor Pinto repete a candidatura de há quatro anos, mas parte para estas eleições com expectativas e ambições redobradas. “Ir uma segunda vez a sufrágio obriga a uma maior mobilização de cidadãos dispostos a contribuir para a elaboração de um programa eleitoral para a Póvoa de Varzim. Não é tarefa fácil, mas temos a ambição de demonstrar que o Bloco de Esquerda tem uma alternativa para este concelho. Fui escolhido pelos meus pares para desenvolver um trabalho com o qual os poveiros se identifiquem, através de propostas concretas para a governação do concelho”.

Há quatro anos, Victor Pinto era um desconhecido para o eleitorado. A votação no Bloco de Esquerda desceu e o partido perdeu o único deputado que tinha na Assembleia Municipal. Agora, com o crescimento do partido a nível nacional, reforçado com a viabilização de um governo à esquerda, Victor Pinto sente que a sua candidatura à Câmara da Póvoa sai fortalecida: “Através do contacto com as pessoas, pretendemos construir um programa que vá de encontro aos anseios e expectativas dos poveiros. E podemos ser beneficiados por todo este élan, iniciado desde as legislativas de 2015, com o crescimento do Bloco de Esquerda em todo o país”.

Mesmo num concelho tão conservador e que habitualmente vota à direita como a Póvoa de Varzim? Victor Pinto acredita que é possível inverter a tendência de voto do eleitorado poveiro: “Em 2013, o Bloco de Esquerda perdeu votos em todo o território nacional, fruto do medo que foi instigado pela presença da troika em Portugal e pela mentira que o governo anterior contou aos portugueses que não havia alternativa à austeridade. Fruto desse medo, as pessoas retraíram-se e preferiram votar de forma conservadora. Mas o tempo deu-nos razão e mostrou que, de facto, havia uma alternativa à austeridade e ao conservadorismo que o PSD e o CDS andaram a cultivar. E a melhoria das condições de vida dos portugueses é hoje uma realidade. Por isso, o Bloco de Esquerda é visto como uma força determinante para defender os interesses das populações e combater os interesses privados. Na oposição, somos uma força necessária para fiscalizar e condicionar a governação”.

Victor Pinto reconhece que a Póvoa de Varzim é um concelho extremamente conservador e avesso a mudanças: “Há uma constante promiscuidade entre os poderes autárquicos, os interesses privados e as associações. São sempre os mesmos a beneficiar dos apoios e desconhecem-se os critérios utilizados na sua atribuição. Não há nada de novo na Póvoa de Varzim. É um sintoma preocupante e que queremos combater. Por isso, vamos apresentar visões mais frescas para este concelho. Não nos demitiremos de apresentar propostas credíveis e de fazer uma oposição construtiva”.

Leia a notícia na íntegra na edição impressa.