Geral

MUSEU – Memórias Únicas
Uma Associação Que Preserva as Memórias

Joana Leandro e Mário Linhares

A ‘Museu, memórias únicas’ é uma associação poveira sem fins lucrativos, constituída a 26 de Agosto de 2016, que tem por missão ajudar as organizações e as famílias a recuperar, preservar e celebrar as suas memórias.

“A memória é o fio condutor do nosso passado, presente e futuro. Registá-la é essencial para a construção da identidade de qualquer organização ou indivíduo. Na ‘Museu, memórias vivas’ valorizamos a eternização de lembranças e do património material e afectivo na vida de pessoas e instituições”, explicou Mário Linhares.

O presidente da direcção da ‘Museu, memórias vivas’ contou à nossa reportagem como surgiu a ideia de constituir uma associação com esta génese: “Todas as pessoas que integram a associação são apaixonadas pelas memórias e por isso decidimos constituir uma associação para fazer a divulgação do património histórico. E, aos poucos, estamos a construir o nosso projecto.  Temos por missão a divulgação, preservação e valorização do património histórico das empresas, organizações e pessoas”.

Joana Leandro é historiadora e vice-presidente da jovem associação poveira. Explicou que o âmbito da ‘Museu, memórias únicas’ é abrangente: “Uma das nossas vertentes passa por dar a conhecer ao público em geral algumas das nossas memórias pessoais que depois se interligam com as memórias colectivas de todos nós, e que se traduzem em exposições e outros eventos culturais. Actualmente, temos patente no Café Schmits, na Póvoa de Varzim, até 30 de Março, uma exposição sobre marcas publicitárias antigas. No próximo dia 24 de Fevereiro, em parceria com a Cooperativa de Cultura ‘A Filantrópica’, vamos inaugurar uma exposição sobre cartazes políticos”.

E prosseguiu: “Outra vertente, não tão visível ao público em geral, prende-se com os trabalhos que realizamos junto das empresas, em que inventariamos e divulgamos o seu património histórico. Esses trabalhos traduzem-se em publicações, vídeos institucionais ou na criação de espaços museológicos dentro da própria empresa, no sentido de valorizar e perpetuar a sua memória. Ao nível dos particulares, fazemos inventários de colecções privadas e árvores genealógicas”.

Leia a notícia na íntegra na edição impressa.