Curtas e Grossas…

Portugal (não) é Lisboa

Os argumentos do voto de saudação do PS, aprovado por unanimidade, pelos parlamentares portugueses para a candidatura de Lisboa à sede da Agência Europeia do Medicamento, reclama receita caseira para a memória fraca e amnésica. O repúdio de Rui Moreira a mais uma facada centralista fez a “geringonça” planar no escuro. “Ambiente científico e académico reconhecido, qualidade de vida, boas estruturas para instalação, e boas condições para atrair semanalmente um número elevado de interlocutores”, é o mesmo que dizer: “Portugal é Lisboa, o resto é paisagem”.

Ademar Costa