Cultura

Comemorações do Bicentenário de Cego do Maio

Manuela Costa Ribeiro e Luís Diamantino

Manuela Costa Ribeiro e Luís Diamantino

A 8 de Outubro de 1817 nascia José Rodrigues Maio, mais conhecido por “Cego do Maio”, sem imaginar que dois séculos depois seria mais uma vez homenageado pelos seus feitos de salvador de vidas. O herói poveiro, homem de grande coragem e abnegação, recebeu das mãos do rei D. Luís I a mais alta condecoração do Estado, o Colar de Cavaleiro da Ordem de S. Tiago e Espada.

A cerimónia evocativa do bicentenário de Cego do Maio, organizada pela Câmara Municipal, arrancou no sábado e contou com a presença do presidente do Município, Aires Pereira, e do Chefe de Estado-Maior da Armada, Almirante António Silva Ribeiro, entre outras personalidades.

Depois de depositada uma coroa de flores no monumento ao ilustre poveiro, procedeu-se à inauguração da exposição “Cego do Maio e a História Trágico-Marítima do Poveiros”, seguida de uma conferência sobre “Salvaguarda da vida humana no mar”, que contou com a presença de José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, iniciativas que decorreram no Museu Municipal de Etnografia e História.

A efeméride foi também aproveitada para o lançamento do livro de Manuela Costa Ribeiro, intitulado “Cego do Maio e o Mar”, com ilustrações de Alex Gozblau. A apresentação esteve a cargo do vereador da Cultura, Luís Diamantino, que surpreendeu os presentes ao anunciar a oferta do livro.

Leia a notícia na íntegra na edição impressa.